domingo, 8 de março de 2009

Médico de Catanduva diz ser inocente da acusação de pedofilia

Apontado por vítimas como integrante de uma suposta rede de pedofilia em Catanduva, o endocrinologista de crianças Wagner Rodrigo Brida Gonçalves, por intermédio de seu advogado, disse ser inocente. Ele é filho de Wagner Gonçalves, um conhecido médico na cidade.

O criminalista José Luis Oliveira de Lima, 44, de São Paulo, assumiu na quinta (5) a defesa de Rodrigo Gonçalves. Terá a ajuda de Paschoal Belotti Neto, advogado da região que já tinha sido contratado.

Lima é também um dos advogados do especialista em fertilização in vitro Roger Abdelmassih, 65, que é acusado por mais de 60 ex-pacientes de abuso sexual.

Catanduva é uma cidade do interior paulista com 115 mil habitantes a 384 km da capital.
Na semana passada, o senador Magno Malta (PL-ES), presidente da CPI da Pedofilia, esteve lá para conversar com mães das vítimas e saber da polícia com estão as investigações.

A CPI e o Ministério Público foram atendidos pela Justiça no pedido para a quebra do sigilo telefônico de 22 suspeitos.

Mais de trinta crianças e adolescentes de dois bairros pobres teriam sofrido abuso, e entre os suspeitos está Rodrigo Gonçalves.

Crianças fizeram à polícia afirmações como esta: “Eles [homens] colocavam o pipi na boca da gente”.
Embora tenha sido um dos acusados desde o começo, o nome de Rodrigo Gonçalves e o de outras pessoas influentes da cidade não constavam no inquérito policial, como o do empresário José Emanuel Volpon Diogo, da Usina de Açúcar e Álcool Cerradinho.

Por pressão do Ministério Público, a polícia teve de abrir novo inquérito. Agora, a Polícia Federal acompanha as investigações.

Duas crianças teriam reconhecido a casa do médico para a qual eram levadas pelo borracheiro José Barra Nova Melo, 49, que seria o agenciador da rede de pedofilia. O Zé da Pipa, como é conhecido, e mais dois suspeitos foram presos. Zé não aceitou a proposta da CPI de delação premiada.

Lima, em entrevista, disse que rasga a sua carteira da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) se existir na casa do médico um esguicho em forma de golfinho, diferentemente, portanto, do que consta no depoimento de uma criança.

Ele lembrou que o médico passou por 11 sessões de reconhecimento sem que fosse apontado por uma das crianças. Rebateu a acusação de que o seu cliente tingiu ou cabelo ou mudou o seu corte para não ser identificado. Falou que o pai do acusado chorou quando prestou depoimento à polícia.

“Imagine um homem de reputação ilibada ter uma acusação leviana na família”, disse o advogado, que se notabilizou ao defender o petista José Dirceu na época das denúncias do mensalão.

O portão da casa de Rodrigo Gonçalves amanheceu sábado com as pichações “Ta na mira” e Papa anjo”.


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...