Pensão de Maitê Proença é reduzida para R$ 21,5 mil

Maitê Proença
Aposentadoria de Maitê era
maior que salário de presidente
Gilmar Mendes, presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), suspendeu a determinação do desembargador Vallim Bellocchi, do Tribunal de Justiça de São Paulo, que garantia à atriz Maitê Proença Gallo (foto) o valor de R$ 24,6 mil para a pensão que recebe desde o suicídio do seu pai, em 1989, o procurador de Justiça Eduardo da Rocha Monteiro Gallo.

Agora, a pensão é de R$ 21,5 mil.

A decisão de Mendes baseou-se na emenda constitucional segundo a qual a aposentadoria de funcionários públicos não pode superar o salário do topo de carreia nem exceder o salário do presidente do Executivo e o do Judiciário.

No caso da pensão de Maitê, o teto de comparação é o salário do governador do Estado.

A atriz tem o direito à pensão deixada pelo seu pai porque nunca casou no cartório. Ele morou 12 anos com o empresário Paulo Marinho, com quem teve uma filha. Depois, viveu com o cineasta Edgar Moura.

A lei que garante pensão permanente às filhas solteiras de servidores públicos é de 1958. Já houve tentativa de revogá-la.

No momento, a atriz participa de uma novela da Globo e do programa Saia Justa, da GNT (emissora de tv a cabo da Globo).

Ela escreveu um livro sobre sua vida. Nele, relembra que o seu pai matou sua mãe, Margot Proença, com 11 facadas.

Aos 50 anos, Maitê é uma das mais belas atrizes brasileiras, mas sua carreira artística está em decadência já há alguns anos.





Juiz proíbe Playboy de reutilizar foto de atriz segurando terço
agosto de 2008
6 comentários