Professora diz o que é pedofilia; então Rosa fala de seu pai

Rosa (nome fictício), de 10 anos, levanta a mão e faz uma pergunta inesperada a uma professora de matemática:

- O que é pedofilia?

A professora deu uma rápida explicação, e a aula prosseguiu, mas a conversa de Rosa com as colegas desviou a atenção da classe. Aí, uma menina disse:

-- Professora, a Rosa quer falar sobre o pai dela.

A professora percebeu que se tratava de coisa séria, e Rosa, que chorava, foi levada para conversar com a diretoria da escola municipal de Porto Feliz, cidade a 112 quilômetros de São Paulo. A informação é de Herculano Barreto Filho, do Diário de S. Paulo.

O pai de Rosa é Sidney Alexandre Cerrafin, de 37 anos. É um predador. Ele é acusado de cinco estupros, quatro contra crianças, incluindo a sua filha, de quem abusava desde quando ela tinha seis anos. Depois dauela conversa de Rosa na escola, ele foi denunciado pelo Conselho Tutelar. E foi preso.

Ao delegado André Marinho Bonan, o monstro negou que tivesse cometido estupro, mas reconheceu que tem atração por meninas menores de idade. Tanto que mora com uma adolescente de 15 anos que está grávida de cinco meses.

Ele se separou a mãe da Rosa há quatro anos. Com ela, além da menina, ele teve dois meninos, um 12 anos e outro de 8. Todos moram com a mãe.

Quando os três iam passar o dia com o pai, Rosa voltava calada. O filho mais velho disse não gostar de visitar o pai. Falou que ele costumava se trancar com a irmã dentro do banheiro.

Bonan acredita que Cerrafin tenha cometido mais abusos. O delegado está investigando.

Na sexta (20), Cerrafin foi levado para a Cadeia Pública de Pilar do Sul, destinada a criminosos sexuais. Ele está, portanto, com seus iguais, com monstros predadores. Entre os quais, como se sabe, manda o mais forte.

Casos de pedofilia.

Comentários

  1. Do Impacto Rondônia.com:


    Pedófilo - A palavra de origem grega, paidóphilos, significa literalmente “amigo da criança”. Conforme o termo, a pedofilia deveria ser apenas um sentimento de amizade de um adulto por um ser humano ainda em formação. Na prática, os pedófilos têm as crianças como objeto do desejo, fonte de prazeres sexuais.

    Como distinguir o comportamento das pessoas que estão próximas das crianças? Mesmo com a divulgação de tantos crimes nos meios de comunicação, ainda é difícil ao leigo identificar o adulto que apresenta o desvio no comportamento sexual. O perigo é que o pedófilo pode ser o professor, o animador de festas, o técnico de futebol, o médico ou qualquer outra pessoa que tem fácil - e justificado - acesso ao universo infantil.

    A pedofilia é conceito da área da psiquiatria que define uma perturbação mental no indivíduo. É resultado da história pessoal e de todo um contexto social. Os impulsos sexuais ocorrem de forma repetitiva e intensa durante um período de pelo menos seis meses, implicando geralmente na atividade sexual com uma criança. Esta característica o diferencia do popularmente chamado agressor sexual, que nem sempre é um pedófilo. “O termo pedofilia extravasou o domínio científico e passou para o léxico social, designando indiscriminadamente qualquer conduta de violência sexual contra crianças”, diz o psicólogo e licenciado em Letras, Marcelo Markes. Ele explica que os perfis psicológicos do pedófilo e do agressor sexual são diferentes. “Existe até uma filosofia de vida dos pedófilos que acreditam que a criança tem desejo sexual.

    Eles não acreditam que a prática é crime, algo errado ou que faça mal à criança”. Os pedófilos, muitas vezes, nem têm contato genital. Eles fotografam, se excitam com a situação, podem limitar-se a despir e observar a criança, exibir-se, masturbar-se na presença dela ou afagá-la.

    O abuso sexual, quando não é praticado por pedófilo, tem a característica de acontecer mais no ambiente doméstico. Normalmente é praticado pelo pai, padrasto, tio, avô ou pessoas próximas à família. Neste caso o agressor pode levar uma vida aparentemente normal. “O agressor sexual jamais se excitaria olhando a foto de uma criança tomando banho numa banheira. O universo psicológico dele envolve a sedução, a submissão daquela criança e pode envolver violência. Já os pedófilos, muitos deles recorrem à antigüidade grega para explicar seu comportamento, lembrando que a iniciação sexual da criança na Grécia era feita por um adulto, que nossas avós e bisavós se casavam aos 12 anos”.

    O indivíduo classificado como pedófilo deve ter, no mínimo, 16 anos de idade. O diagnóstico não se aplica quando se trata de um indivíduo no final da adolescência envolvido num relacionamento sexual contínuo com alguém de 12 ou 13 anos. Na classificação por sexo, 98% dos pedófilos são homens e somente 2% são do sexo feminino. Outro dado divulgado é que 95% dos pedófilos são heterossexuais.

    O perigo é a maneira dissimulada como se comporta o pedófilo. Eles desenvolvem verdadeiras “técnicas” para obter acesso às crianças. Muitas vezes o investimento começa na conquista da confiança da mãe da criança ou até mesmo no casamento com uma mulher que seja mãe de uma criança atraente. O tráfico de crianças e a adoção também são recursos aplicados, principalmente nos países miseráveis.

    Outro alerta é que geralmente o pedófilo busca profissões que possam ter contato íntimo com crianças, como, monitores de acampamentos e clubes de lazer, professores, enfermeiros, médicos e outras. Normalmente ele usa como arma de sedução o suborno material ou afetivo. “O pedófilo tem uma sensibilidade grande em perceber o ponto fraco da sua vítima, explorando a curiosidade infantil e o interesse por atividades lúdicas”, alerta o psicólogo.

    ResponderExcluir
  2. bom o melhor que tem a se fazer e cuidar das crianças e procurar saber tudo sobre todos que estão ao redor de suas crianças
    porque as pessoas que fazem isso com crianças não tem coração nem alma porque fazer isso com uma criança e Judiação as crianças naum entende o que esas pessoas fazem com elas e na maioria das vezes a mãe ou o pai não sabe oque esta acontecendo com seus filhos ou então qualquer um deles podem estar fazendo isso com seus proprios filhos sem ter nenhum problema achando que isso não vai fazer mau a nenhum deles e nem aos seus filhos .

    ResponderExcluir
  3. Precisamos de mais denúncias, de mais blogs, de mais links, de mais investigação...

    Ótimo trabalho sr. Paulo, venho lendo outras reportagens, e vejo que aqui, pelo menos, a notícia é imparcial.

    Parabéns ^^

    ResponderExcluir
  4. Precisamos de mais páginas assim, de mais notícias assim, de mais denúncias, de mais investigação, coisas como essas não são isoladas, não acontecem sozinhas, e quando acontecem, envolvem muitas outras pessoas, que caladas deixam que monstros continuem à solta.

    Venho lendo outras reportagens desse blog, o suficiente para afirmar que aqui pelo menos, a notícia é imparcial, incolor e indiscriminada.

    Ótimo trabalho sr. Paulo, muito bom mesmo ^^

    ResponderExcluir
  5. Uma pessoa assim e um monstro nao tem a menor consideraçao pela a sua filha
    abusar sexualmente dela deis do seis anos
    por tem tantos meios de sentir prazer
    precisa ser com a criança inocente
    desculpa mais estou chocada ate agora
    17/03/09 16:53

    ResponderExcluir
  6. -Ser parente ou não, bem como a frequência e forma de abordagem, não exclui da categoria de “pedofilico”, a quem abuse sexualmente de crianças.
    -Meu pai, é um exemplo de pedofílico serial.
    -Para aqueles que desejam se educar mais a respeito do assunto, visitem o site
    “R-Evolução Anti Pedofílico” (www.r-eap.org).

    Obrigada, em nome das vítimas e sobreviventes de abuso sexual na infância.

    Elisabeth Nonnenmacher
    (Sobrevivente de abuso sexual na infância)

    ResponderExcluir
  7. esse e um mostro ,na minha opiniao que nao e uma doença e ssim um aproveitado de crianças de menores tem que ser punido...

    ResponderExcluir
  8. hoje no brasis esta a contecendo ,de tudo e esse negoso de pedofilie e um dos casos no brasil.temos que ter muito cuidado a te pra sair de casa ficamos comedo de ser asaltado medo de toma um tirou perdido ,a ter pra anda nas ruas temos que ter cuidado se vem um carro degovernadon bpode ater passar por cima esse e o meu comentario .

    ResponderExcluir
  9. Bem, eu "ia" comentar o caso do monstro, mas, lendo os demais comentários, uma coisa salta aos olhos: COMO ESSE POVO ESCREVE MAL!!!
    Caraca!! vc tem que ler umas dez vezes pra TENTAR entender o que o "ser" está dizendo.
    Sabe qual é o outro "caso" do Brasil? Falta de leitura, falta de educação de qualidade. Vamos ler mais, povão!! Até dói ler coisas assim...
    A propósito, Brasil se escreve com "B" maiúsculo, caro Anônimo!!!

    ResponderExcluir
  10. ola Tatinha,vc como muitos que tem estudo e formaçao superior deveriam ser menos criticos,afinal o que nos interessa e os depoimentos aqui descritos,nao tenho formaçao alguma uma simples``oitava serie``mais tenho educaçao o suficiente para respeitar o depoimento de outra pessoa,sao por causa de pessoas como vcs que o pais esta nesta vergonha em que se encontra,aos amigos leitores,peço desculpa pelo desabafo pois nao gosto de ver pessoas desse tipo nos destratando dessa forma,abraços a todos da equipe e leitores,e nao tenham vergonha de escrever errado o importante e o conteudo que iremos expor``verdadeiro``

    ResponderExcluir
  11. A burrificação universal e a ignorância desencabulada.
    A odiosa mania socrática por julgamento, que vitimou o de cujus, tornou-se compulsão na civilização hodierna; todo indivíduo acha-se no direito de saber, ensinar, quando devia limitar-se a OPINAR e encarar a sua contribuição como acréscimo, não como a verdade do conceito.
    Uma opinião, acrescida de outra, esses são os rumos do debate. Qualquer ignorante sente-se ofendido quando criticado... e como a maioria dos candidatos a mestrado e doutorado padece dessa suscetibilidade...Uma crise de arrogância e prepotência permeia essa pandemia de juízo inautorizado e paranóia de aconselhamento e salvação...Todos têm a verdade pronta pra tudo e acerca de tudo, confundem a liberdade de opinião com o direito de ensinar. Como diz meu pai, desencabulou a besteira, todo analfabeto julga poder escrever, e a correção gramatical é preconceito linguístico...Aliás tema de um livro que é estudado no doutorado de Letras. O que prova que a crise é de humildade, portanto de verdadeira grandeza. Escritora genial, intelectual, metafísica, e pelo próprio intelectualismo vaticano laureada como doutora da Igreja, Teresa d´Àvila reconhecia-se párvula e ignorante. A oitavanista ofende-se humilhada, o que corrobora o pensamento de Aristófanes, até a brutalidade tem cura, mas a estupidez...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adorei amigo. Genial. Uma autêntica bofetada com luvas de pelica na alma da pessoa que se identifica ¨TATINHA¨. Escrevendo assim, de modo erudito e impostado, acho que o amigo Anônimo quis mostrar à pessoa que criticou os erros de gramática no referido texto, que não somos nada. Que qualquer um pode escrever corretamente. Porém se não escreve, devemos respeitar. Afinal, aqui não é uma banca julgadora de vestibular ou de concurso público.Realmente o que interessa aqui neste blob, são as opiniões que possam vir acrescentar algo ao que foi proposto para ser discutido. Genial.

      Excluir
  12. Deus me livre. Após a publicação do meu comentário, percebi que cometi 2 erros de gramática: escrevi blob no lugar de blog e na linha 8 esqueci de dar espaço após o ponto.
    A Tatinha vai me arrancar a pele...rsss

    ResponderExcluir

Postar um comentário